| 51

EXERCÍCIO DA TOLERÂNCIA

REFLEXÃO DO DIA
17.06.22

Pessoa alguma deve se sentir no direito de julgar a outra pelo simples fato dela ter demonstrado raiva, mágoa ou incompreensão para conosco ou mesmo com outrem.

E também, não nos sintamos diminuídos por percebermos que, às vezes, estamos às voltas com esses mesmos sentimentos. Afinal, assim como todos os demais, somos humanos e estamos caminhando rumo à perfeição espiritual que demanda tempo, mais de uma vida.

E não nos culpemos por isso! Amor, ódio, ressentimento e frustrações são sentimentos presentes na vida de todas as pessoas, sem exceções.

Bom seria se não os alimentássemos por muito tempo, embora, sentí-los, seja algo compreensível. Se não os tivéssemos não precisaríamos estar nesse mundo, pois, seríamos almas perfeitas e já evoluídas. Mas, infelizmente, essa não é a realidade.

Aceitemos e entendamos que a grande maioria das pessoas nos cobrará moral e perfeição mas, essas pessoas nem se deram conta de que não possuem essas virtudes.

“A vida é assim", diria o jargão popular. Mas, não é a vida que é assim, as pessoas é que são dessa forma. Como bem disse o Divino Mestre, falam do "argueiro no olho dos outros e não vêem a trave que está nos próprios olhos".

Pensemos nisso, nos corrijamos e nos exercitemos para sermos pessoas melhores. Aceitemos a ideia de que estamos aqui para aprendermos e desenvolver qualidades, porém, procuremos adquiri-las através do nosso próprio esforço. E... os outros... que falem o que quiserem!

Que tenhamos uma sexta-feira abençoada, de muita tranquilidade e, na paz do Senhor!






  • Fontes: CLAUDIO RODRIGUES