• Home
  • Saúde
  • Após dois reajustes, obra do Lucy Montoro será retomada em Taubaté
| 88

Após dois reajustes, obra do Lucy Montoro será retomada em Taubaté

Enquanto empresa aguardava reajuste, serviço estava estacionado em 82% de execução desde início do ano passado; R$ 600 mil mais cara, obra deve ser concluída em julho, com seis anos de atraso
Depois do segundo reajuste no valor do contrato em um intervalo de oito meses, a obra do Centro de Reabilitação Lucy Montoro de Taubaté deve voltar ao ritmo normal e ser concluída até o mês de julho – ao menos é o que esperam a Prefeitura e o governo estadual.

O serviço estava em ritmo lento desde o início do ano passado, quando a empresa Hcon Engenharia, responsável pela conclusão das obras, solicitou a revisão da planilha de custos, por entender que os valores estavam defasados – assinado em outubro de 2017, o contrato havia sofrido apenas um reajuste até então, de 3,44%, em janeiro de 2020. Desde o primeiro semestre do ano passado, o percentual de execução da obra está estacionado em 82%.
Em julho de 2021, o contrato ficou R$ 363 mil mais caro. No fim de março desse ano, novo aumento, dessa vez de R$ 241 mil. “Foi necessário realizar este acréscimo ao contrato devido a situação de desequilíbrio econômico-financeiro em que a obra da Rede Lucy Montoro se encontrava. Com a situação da pandemia de Covid-19 no ano de 2021, os custos e a forma de pagamento dos materiais foram impactados diretamente, impossibilitando a conclusão da obra. Além disso, por se tratar de um contrato firmado em 2017, muitos preços estavam defasados com relação à realidade do mercado, mesmo com os reajustes concedidos anteriormente”, justificou a Prefeitura.

Com esses dois reajustes, o contrato com a Hcon, que custava inicialmente R$ 10,457 milhões, já chegou a R$ 12,78 milhões. Esse valor inclui também o AME (Ambulatório Médico de Especialidades).

Somando também o valor pago à primeira empresa que atuou na obra, a Construtora Danelli, o serviço, que custaria R$ 10,4 milhões, já passou para R$ 15,133 milhões.

Realizada pela Prefeitura, com recursos do Estado, a obra do AME e do Lucy Montoro foi iniciada em agosto de 2015 e deveria ter sido finalizada 12 meses depois. Com sete das 26 especialidades, o AME foi inaugurado oficialmente no fim de março. O atendimento integral deve ser atingido em setembro.






  • Fontes: O VALE

Últimas Notícias


Notícias relacionadas