| 113

Os programas infantis ainda tem folego?

Em Goiás, mais especificamente na capital Goiânia, um programa infantil vem
roubando a sena e se destacando entre o público, com atrações e quadros voltado para
o público infanto-juvenil o programa é diário, uma espécie de revista eletrônica, onde
as crianças aprendem brincando.
O programa é composto por personagens que levam o cotidiano vivido pelo
público alvo, com conflitos e questões levantadas por eles, como matar ou não aula?
Mentir ou falar a verdade? Além das historinhas vividas pelos personagens o programa
conta com desenho, clipes do momento e brincadeiras para agitar a garotada.
Atualmente o infantil tem investido no lado musical, com regravações e
composições próprias, como a música recém lançada de uma das personagens a Zoy, a
música ¨Eu meu chamo Zoy¨, já disponível nas plataformas digitais, youtube e spotfily.
Batemos um papo com a artista e a produção do clipe confira! Primeiro conversamos
com o preparador e diretor artístico do clipe Dhiego Igreja que respondeu algumas
perguntinhas para nossa equipe.
A sua carreira é bem vasta, coreografo, vídeo-maker, produtor, apresentador,
e agora diretor de vídeo clipe? Como surgiu a proposta?
Bom a proposta de dirigir o clipe da Zoy foi me dada pelo Diretor do programa
Anderson Pereira, por saber que já fiz e faço direções e preparações artísticas de artistas,
já fiz preparação para Naiara Azevedo, Israel Novaes , luiza e maurilio, Marianna Santos,
Lorena Queiroz, dentre outros artistas, e aí com certeza aceitei mais esse desafio de
fazer toda preparação, pré e pós produção.
Qual o maior desafio em preparar um clipe do zero?
Maior desafio foi o tempo e eu fazer todas as funções sozinho rsrs, sem equipe
comigo, mas que também é algo que já estou um pouco acostumado a sempre puxar a
responsa para mim mas …
Você pode conferir o resultado do trabalho do Dhi Igreja no canal da Zoy no
youtube ou no programa, agora vamos falar com ela que dá vida a essa personagem que
cativou as crianças. Vamos ver como ela chegou ao programa, e como sua personagem
ganhou força dentro da atração.
Como foi seu ingresso no Alegria na TV?
Fui descoberta pelo diretor Anderson Pereira, durante um trabalho teatral que
desenvolvi com as crianças do Mais Educação, na rede pública. Então recebi um convite
para interpretar a personagem ¨Manuh¨, uma adolescente carioca, que não vingou,
então eu saí do alegria na TV, mas as portas ficaram abertas pra eu que eu pudesse
voltar e em 2019, após lançar meu canal de “Lifestyle” no YouTube, que recebi um novo
convite para viver uma suposta prima do Joca que veio de São Paulo. A personagem
sempre foi cômica, porém foi sofrendo adaptações e hoje ela tem o melhor formato,
isso num período de 3 anos de Alegria na TV. A Zoy acompanhou a transformação
interna da pessoa que traz vida a ela, no caso eu.
Como é dar vida a uma personagem tão ingênua quanto a Zoy?
Olha, ela tem muito da Lohany. Digamos que a Zoy, atualmente, representa o
meu eu criança. Acredito que todos nós temos o eu criança.
Você se inspirou em alguém pra criar esta personagem?
Quando o diretor me passou, o que ele buscava em uma personagem, ele me
mandou muitas inspirações, e uma delas foi um personagem vivido por Carla Peres no
seu programa infantil da Bahia a ¨Twitana¨, porém com a minha transformação interna
eu fui encontrando quem realmente a Zoy deveria ser. E então ela começou a se
infantilizar mais, ter a voz alterada e cada vez se tornar a cara das crianças lá do outro
lado da telinha.












Mais Fotos

  • Fontes: RAFAEL BRUNO

Últimas Notícias


Notícias relacionadas