| 45

*O AR*

*BREVIÁRIO MAÇÔNICO*

13 de janeiro

Na Iniciação, o candidato foi submetido à prova do ar, que é um dos elementos na Natureza de maior grandeza, uma vez que é dos elementos mais vitais; sem o ar não há respiração, portanto, vida.
A prova do ar não consiste na supressão do mesmo, pondo em risco a vida do candidato.
Trata-se, sim, dos efeitos do excesso do ar, traduzindo em ventania, ciclone e similares, que tudo arrastam e destroem.
A ciência tem apresentado meios de preservação, com a construção de residências sólidas e refúgios suficientemente seguros.
Na vida, é constante o enfrentamento com esses distúrbios da Natureza; colhido por um vendaval, mesmo que passageiros, o maçom deve saber enfrentá-lo, com inteligência e prudência.
O vendaval surge quando menos se espera e produz danos, mesmo que leves.
Esses imprevistos desagradáveis devem ser enfrentados com galhardia e, sempre, tendo em mente que o maçom não deve sentir-se atingido, uma vez que já, na Iniciação, venceu a prova do ar.
A Natureza é adversa ao homem; ela se vinga das agressões sofridas; o maçom deve respeitá-la e dar maior importância à ecologia, que trata do equilíbrio em benefício de todos os seres.
O ar normal "alimenta", uma vez que, ingerido automaticamente, purifica nossos pulmões; há sempre algo positivo na anormalidade.

Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino.






  • Fontes: GRUPO GI APR