| 44

VER PARA CRER

REFLEXÃO DO DIA
11.01.21

Todos conhecemos a célebre frase: "tenho que ver para crer". Uma alusão ao comportamento de Tomé, um dos Apóstolos bíblicos, descontente e
reclamando provas, por não haver testemunhado a primeira visita "pós-mortem" do Divino Mestre.

Tal atitude, criou um símbolo para todos os aprendizes despreocupados das suas obrigações, pois, ocorreu ao discípulo ausente o que acontece a qualquer trabalhador ou aprendiz distante do dever que lhe cabe.

A edificação espiritual, com suas bênçãos de luz, é igualmente, um curso educativo. O aluno matriculado na escola, sem assiduidade às lições, apenas abusa do estabelecimento de ensino que o acolheu, porquanto a simples ficha de entrada não soluciona e nem garante o seu aproveitamento.

Sem o domínio do alfabeto, não alcançará a silabação e sem a posse das palavras, jamais chegará à ciência da frase. E assim, prevalece idêntico processo no aprimoramento do espírito.

O discípulo Tomé, não estava com os amigos quando o Mestre apareceu, mas, logo em seguida, formulou reclamações, criando o tipo de aprendiz suspeitoso e exigente. E nos trabalhos espirituais de aperfeiçoamento, a questão é análoga.

Matrícula-se o companheiro, na escola da vida superior, entretanto, ao invés de consagrar-se ao serviço das lições de cada dia, revela-se apenas mero candidato a vantagens imediatas, pois, em geral, nunca se encontra ao lado dos demais e, logo após, reclama e se desespera.

A lógica, no entanto, jamais abandona o caminho reto. E assim, quem desejar a benção Divina, deve diuturnamente trabalhar para merecê-la. E é consequência, também lógica, o fato de o aprendiz ausente da aula, não poder reclamar benefícios decorrentes da lição. E se a lógica é justa, mais Justo o É, o Criador.

Não percamos tempo e, com esta segunda-feira, preparemos uma excelente semana, nos exercitando sem cessar na lógica do aprendizado do bem e da virtude.






  • Fontes: HÉCTOR GUERRERO e CLÁUDIO RODRIGUES