| 73

O VERDADEIRO AMOR

REFLEXÃO DO DIA
28.07.20

Se quisermos ser felizes, amemos.

A maioria das pessoas não conhece o verdadeiro significado do amor. Limitam o amor às paixões ou ao sentimento que têm quando estão enamoradas. O amor é um sentimento amplo que não está restrito a apenas uma pessoa.

É claro que o amor do marido ou da esposa se confunde com prazer e alegria, mas na verdade, o amor é um sentimento de sacrifício, praticado por pessoas dispostas a abrir mão de vontades pessoais em benefício de outras pessoas.

Enquanto as pessoas não definirem o amor, enquanto não perceberem que o amor é algo que independe da posse, do egocentrismo, da planificação, do medo de perder, da necessidade de sermos correspondidos, o amor não será amor.

O amor requer abnegação, renuncia, doação e compaixão. Não busca riquezas nem vaidades e se completa ao fazer o bem e levar momentos de felicidade ao nosso semelhante.

O amor é transparência, pureza. Não é falso e ele está unido com a verdade como duas faces de uma mesma moeda e é impossível separa-las. O amor é o resultado da nossa compreensão da espiritualidade divina que existe em todos nós.

Se nós queremos menos violência no mundo, mais harmonia entre as pessoas, menos inveja ciúme, egoísmo, orgulho e mais tolerância, criemos mais amor em nossos corações.

Nesta terça-feira, lembrando o Apóstolo Paulo, tenhamos a certeza de que três coisas sempre permanecerão: a fé, a esperança e o amor. Mas a maior de todas é o amor.
===========///=================

*ACOLHER O OUTRO SEM PRESSA*

Quando acolho alguém, seja pessoalmente ou por chamada telefônica; quando recebo um cliente no consultório, mentalizo a seguinte frase: "O amor não tem pressa, o amor tem tempo".
Com esse pensamento, procuro acolher o outro sem demonstrar que tenho um tempo limitado para estar com ele.
Acolher Jesus na pessoa do outro. Como eu poderia limitar o tempo para Jesus? Como poderia demonstrar-lhe que estou com pressa? _ Nunca!
Para Ele eu dou todo o meu tempo. Aliás, dou toda a minha vida.
Portanto, quando a acolhida significa doação de si, não é feita às pressas, mas com disponibilidade completa de tempo.
Não usemos o relógio para acolher o outro. Usemos o "tempo". O tempo do outro, o tempo necessário, o tempo do amor concreto.
(Apolonio Carvalho Nascimento)







Mais Fotos

  • Fontes: HÉCTOR GUERRERO