| 195

"DIZO"

Mais uma figurinha carimbada que fui buscar nos meus Arquivos Implacáveis.
* * *
Queira sentar-se que lá vem história.
* * *
Benedito Ramos era o nome dele, irmão do Nôia que era craque de bola.
* * *
Dizo era de outro ramo: gostava de cantar óperas com um vozeirão que não combinava com sua baixa estatura.
* * *
Como as almas gêmeas se atraem, acabou casando-se com uma figuraça chamada Dinorah.
* * *
E o casal teve duas filhas: Patrícia e Karina Sbruzzi, outra figuraça que anima qualquer ambiente.
* * *
O grande "cartão de visitas" do Dizo era proclamar-se "cunhado do Zito", o bicampeão mundial de futebol nascido em Roseira.
* * *
Lembro-me de um Carnaval na Associação - rua Visconde do Rio Branco - quando Dizo sentiu-se incomodado com o procedimento de um folião e chamou-lhe a atenção dizendo: "Eu sou cunhado do Zito".
* * *
Como você não sabe, quando um menino chamado Edson Arantes do Nascimento - mais conhecido como Pelé - veio fazer o Exame de Madureza em Taubaté, hospedou-se no fim de semana na casa da mãe de Dizo, ao lado do Taubaté Country Club.
* * *
(Exame de Madureza era a oportunidade que o Governo Federal dava a quem não havia cursado o ginásio para conseguir o diploma com apenas alguns exames).
* * *
Dizo desfilava seu repertório em qualquer casamento ou batizado, mesmo a "capela" e quando chegava o Carnaval os três dias eram poucos para ele.
* * *
Por muitos anos ganhou troféu no TCC como o "folião do ano" pois rodava o salão desde os primeiros acordes da orquestra cantando as marchinhas.
* * *
Nos últimos anos de vida comandou um estacionamento na Rua Visconde do Rio Branco onde jamais deixou de cantar uma ópera quando era visitado por um velho amigo.
* * *
Mais um personagem que fez parte do lado festeiro de Taubaté, que se foi como muitos outros. Mas eu eu faço questão de trazer de volta a cada dia.
* * *
Esqueceu que "sem humor não existe equilíbrio?"






  • Fontes: JOSÉ DINIZ JUNIOR